Olá, pessoas! Esse é maaaais um capítulo da nossa webhistória!

Espero que gostem 🙂

Se você não conhece a história ainda, leia o primeiro capítulo aqui e depois continue.

No dia seguinte o despertador toca no mesmo horário, 6 horas da manhã, levanto, vou pro banheiro e repito a rotina diária, já cansativa e desgastante.
Tomo banho, escovo os dentes, escolho uma roupa, preparo o café, as torradas, leio as mensagens no celular, pego minha bolsa e saio. Tudo igual.
Na hora que entro no elevador me lembro que ontem deixei a bicicleta no escritório quando saí para a reunião, então pego o celular e chamo um táxi.
Enquanto espero, olho pro outro lado da rua e, em meio às árvores, vejo uma moça de vestido azul claro, cabelos soltos, andando apressada e segurando várias pastas ao peito. Fiquei ali só observando como se fosse uma obra de arte, e a imagem passando em câmera lenta. Pena que não consegui ver o rosto dela direito pois meus óculos estavam na bolsa. Eu estava tão fissurado no que estava vendo que nem reparei no táxi que já tinha chegado. Abro a porta rapidamente, entro no carro e peço desculpas ao motorista e ele me responde:
– Sem problemas, estava olhando aquela gata de vestido né? Bonita pra caramba hein?! Tem chance comigo hahaha – ele brinca como se tivesse alguma chance com ela.
Dou uma risada sem graça e digo o destino:
– Avenida Faria Lima, 4300, por favor.
Seguimos viagem em silêncio até o prédio. Desço do carro, paro em frente ao prédio e olho pro alto durante uns 5 segundos e entro, e a rotina segue a mesma novamente: cumprimentar o segurança e a recepcionista, pegar o elevador, apertar o 12, cumprimentar a recepcionista do escritório, ir para minha mesa, ligar o pc e mexer no celular. Fico imaginando como seria se eu parasse de viver essa rotina, fizesse algo diferente da minha vida, como seria? Será que eu iria me dar bem? Será que eu iria ser feliz? Vamos voltar ao trabalho, pois é o que temos pra hoje.
Passo a manhã inteira conversando com clientes por telefone e mandando e-mails.

12:00h, o despertador do celular, horário do almoço.
Resolvo almoçar em um lugar diferente hoje. Desço o prédio, paro na porta e converso comigo mesmo:
– Onde vou almoçar hoje? Já sei! Comida vegetariana. Nunca comi comida vegetariana na vida, pra tudo tem uma primeira vez.
Pego o celular e procuro algum restaurante na redondeza e encontro um bem pertinho do escritório. Ao chegar no restaurante me deparo com um atendimento de ótima qualidade, me sento à mesa e recebo o cardápio da mão da garçonete. Olho prato por prato e fico com muitas dúvidas. Chamo a garçonete e explico que é a minha primeira vez num restaurante vegetariano e ela me indica um filé de carne de soja, acompanhado de arroz integral. Como eu nunca experimentei, aceitei a indicação da moça e já fiquei pensando se iria gostar ou não.
Enquanto o prato não chega eu fico olhando a decoração do lugar, muito bem feita por sinal.
Quando menos espero, meu prato chega, aparentemente suculento. Eu, ansioso em saber o gosto do filé vou direto nele, corto um pedaço e dou a primeira garfada. Uma delícia! Nunca imaginei que seria tão gostoso. Continuo comendo e apreciando a cada mordida. Termino meu prato e a garçonete vem me perguntar pique achei da comida, respondo alegremente:
– Uma delícia! Muito obrigado pela indicação e prometo que vou voltar aqui mais vezes – sorrindo.
– Que ótimo! Ficamos felizes em saber que o senhor gostou! Será muito bem vindo em todas as vezes que vier – sorrindo pra mim com muita simpatia.
Levanto, pego minhas coisas e volto para o escritório.
Antes mesmo de voltar para minha mesa, passo na sala do meu chefe:
– Paulo, preciso falar com você. Tem um minuto?
– Claro, Bernardo, pode falar.
– Eu vim pedir demissão. Amo o que faço, mas odeio essa rotina, os colegas de trabalho já não são tão amigáveis e com isso não me vejo mais feliz trabalhando aqui. Não sei o que vou fazer daqui pra frente, mas decidi tomar essa decisão para ter uma vida melhor.
– Fico triste e feliz com essa decisão, Bernardo. Triste pois você sempre foi um ótimo funcionário, nunca nos deu dor de cabeça e sempre trouxe ótimos resultados, mas feliz por pensar em si mesmo e querer uma vida melhor. Espero do fundo do coração que você seja feliz nessa nova jornada. Sucesso!
Agradeço com um sorriso e um gesto com a cabeça e vou para a minha mesa separar minhas coisas. Enquanto arrumo minha bolsa e desligo meu computador, minha mente fica pensando “o que eu fiz? Será que essa é a melhor escolha mesmo? O que vou fazer daqui pra frente? Será que estou ficando maluco?”
Por mais inesperada que seja a decisão, é como se eu tivesse tirado um peso enorme das minhas costas, me sinto muito mais leve, aliviado, totalmente livre e ao mesmo tempo com medo do futuro imprevisível. É difícil de se explicar a sensação, só sentindo para entender.
Embora não seja amigo dos outros funcionários, peço a atenção de todos para fazer o anúncio do meu desligamento da empresa.
– Pessoal, hoje é um dia muito importante na minha vida, pedi demissão e estou indo para uma nova fase, um novo ciclo. Não sei ao certo como vai ser e nem o que vai acontecer, mas o que tenho certeza é que trabalhei com ótimos profissionais e que aprendi muito aqui. Só tenho a agradecer a todos e que me desejem boa sorte nessa etapa da minha vida. Muito obrigado!
Todos começam a me aplaudir e vêm me abraçar. Uns desejam boa sorte, outros só abraçam… Eu só consigo pensar em como estou feliz com essa decisão. Pego minha bolsa e vou embora com um sorriso enorme no rosto.
Ao sair do prédio olho pro céu, sem nuvem e muito ensolarado, abro os braços e grito:
– EU ESTOU LIVRE! UHUUUU! HOJE É O DIA MAIS FELIZ DA MINHA VIDA!
Todos que estavam passando por ali param e me olham assustados e sem entender nada do que está acontecendo. Provavelmente me achando um maluco por ter feito isso, mas a verdade é que eu realmente fui um, mas está valendo a pena.
Pego minha bicicleta e saio sem rumo, pedalando pelas avenidas de São Paulo com um sorriso de orelha a orelha.
Passo o dia todo apreciando o tempo que tenho e no fim da tarde paro em um café para descansar. Peço um chá gelado e um brownie, enquanto não chega eu mando mensagens pros meus amigos e os convidando para irem em casa hoje à noite para lhes darem a notícia. Eles não entendem nada – já que, em plena terça-feira eu quero comemorar algo – mas aceitam o convite.
Assim que o meu pedido chega, bebo meu chá e aproveito para tirar uma foto e postar no meu Instagram e com a legenda “melhor dia não há”. Sim, a legenda não é tão boa, eu nunca fui bom com isso mesmo. Mas o que importa é o que estou sentido. Termino de comer e vou pra casa pedalando.

– LET LIVE –

Não viu o primeiro capítulo da nossa história? Confira aqui!

CLIQUE AQUI PARA VER O PRÓXIMO CAPÍTULO

Curta a página no Facebook para não perder nenhum capítulo e semana que vem tem mais!

A vida é a coisa mais preciosa que temos, parece até obvio. Mas do que faz sentido não viver uma vida da melhor maneira? “Viver é a coisa mais rara do mundo, a maioria das pessoas apenas existe”.

Permita-se viver a sua vida e escrever a sua história.

E eu estou aqui para deixar registrada a minha.

Comentários